19 de agosto de 2009

Aeroporto de Mosquitos

Tem momentos do tratamento que um dos efeitos colaterais da quimioterapia é a queda de cabelo. A gente fica carequinha. Ruim que não é só o cabelo, mas também a barba e outros pelos do corpo. Aí varia de um para outro. No meu caso, incomodou mais a barba falha do que o cabelo pois como já estava ficando careca não teve muita diferença.
Passando um tempo, depois que acabam as seções mais fortes o cabelo volta.
O engraçado era que após passada esta parte do tratamento, sempre que conversava com
alguém que não me conhecia antes e falava da leucemia, do tratamento, e tudo mais a
pessoa falava: "Bem que eu vi que seu cabelo está caindo".
Só que isso é o normal, meu cabelo já estava caindo antes e vai continuar caindo.
Hehehehe. Assim respondia "Não, meu cabelo está assim porque estou ficando careca mesmo!".
Só risadas!

3 comentários:

MUTUCANO disse...

Quiá!.. Quiá!... Quá!..Quá!..Ka!!!!
Só você mesmo para fazer a gente dar umas boas gargalhadas! Pelo menos esse aeroporto de que você fala não é como era o de Congonhas! Êta mosquitos sortudos!
Essa genial historinha de sua vida entre tantas outras captadas pelo seu criativo senso de humor me faz recordar os bons momentos de minha infância (antigamente ela se esticava até os quinze anos!) Nesses tempos costumava devorar assiduamente as revistas de quadrinhos. Uma delas tinha o “carequinha” como personagem. Circulou nos anos 50 e se intitulava Pinduca, também conhecido como Carequinha. Era uma revista colorida e em brochuras. Muito legal e divertida. Depois virou tirinhas cômicas em diversos jornais e revistas.
Da outra revista, todos se lembram muito bem! Circula até hoje! Era a da Luluzinha, em cuja turma tinha um personagem chamado também Carequinha. Era um dos amigos do Bolinha que faziam parte do Club dos Meninos. Muitas histórias e muitas brigas, principalmente com as amigas da Lulu. Era muito engraçado ver as encrencas e as aventuras bem malucas dessa turma.

Por fim, devo dizer-lhe que essa comédia do aeroporto me fez lembrar também a vida de São Francisco, o Santo excêntrico. Nos momentos de dor e de grande sofrimento causado pelas doenças como as que decorreram do fortíssimo ataque de malária, em vez de se queixar e entregar-se à amargura, Francisco buscava uma união mais intensa com Deus. Um dos momentos mais cruéis por que passou foi o da aplicação de ferro em brasa para cauterizar lesões nos olhos, na esperança de que a infecção que lhe causava cegueira fosse debelada. Enquanto os ferros se avermelhavam, Francisco espantou a todos fazendo a prece do “Meu irmão fogo”, uma das criaturas nobres do Altíssimo.
Também vou rogar ao Criador para que continue temperando o seu coração e trazendo forças e energias para você! E nos brindando com esse humor cheio de esperança!
Continue sempre um carequinha alegre!

Um forte abraço do tio!

Flavia disse...

Hahaha!!! Primo, voce nao perde mesmo o humor!! Continue assim, que Deus te abençoe e te dê sempre muita saúde e inspiração!!! Beijos grande

Flavinha

Aron Paiva disse...

É isso aí! Vamos que vamos!
Muito obrigado pela força.