6 de julho de 2008

Enfermagem

É triste quando chegamos no hospital e os enfermeiros já te conhecem. Não pelo fato deles já saberem como você é e como te tratar. Por este lado é muito bom! Mas por estar
voltando a ficar internado.

No hospital há vários "tipos" de enfermeiros e passamos por diversas situações.
Normalmente de dia tem uma equipe grande, não demoram para te atender e o pessoal é
prestativo e bem humorado. A noite a coisa muda. Geralmente o número de profissionais é
menor e as vezes estão até desfalcados. A noite no fim de semana então... Ferrou! Sem
contar que boa parte é carrancuda.

Seguem alguns tipos e características:
A Folgada - Ela adianta sua medicação só para não atrapalhar o jantar dela. Ainda usa seu
termômetro pois diz que o dela é muito ruim!
A Perfumada - Por onde passa você sente o cheiro do perfume.
A Esquecida - As vezes esquece uma medicação aqui, um comprimido ali. Não é por mal. É
bom sempre ficar atento ao que está tomando.
O Conversador - Chega no quarto e fica trocando uma idéia. Normalmente só quer te
distrair um pouco daquele clima hospitalar.
O Despertador - Sempre quando você está na melhor parte do sono vêm o cara trocar sua
medicação ou aferir alguma coisa.
O Acupunturista - É uma sacanagem dizer isso, mas o cara parece que quer tem furar a
todo momento! Bem, se for o cidadão do laboratório ele realmente vai querer isso! Hehehe!
O Zoador - Sempre tem um que torce para o time rival do seu. Até eu que torço para o
Atlético-MG fui encontrar um cruzeirense. Você já está internado e ainda tem que aguentar
zuação... dureza. Felizmente este enfermeiro não ligava para futebol e nem falava muito. Aliás, era muito gente boa.
O Cara - Sempre que precisa de algum procedimento diferenciado ou de uma decisão tem que
falar com o chefe dos enfermeiros. Ele é o cara!
A Enrolada - Você chama ela, chama, chama várias vezes, ela diz que vai, enrola, enrola,
enrola e um tempão depois, quando você já deu um jeito no que precisava ela aparece.

Mas independente do enfermeiro eles são nossos "anjos da guarda".

4 comentários:

Adriana disse...

Mano, entre as características descritas eu fico com o enfermeiro 'zoador'.Mas ainda bem que o cara não era torcedor do flamengo.. na minha opinião seria pior.

Aproveito para agradecer a todos os enfermeiros que tenho certeza cuidaram muito bem de vc ;-)

Que bom que vc já está em casa!!!
Beijosssssssssssss

Anônimo disse...

Alô Sangue Branco, Macarrão, de Molho?
Não mais...até que enfim, heim?
A gente consultava o BLOG diariamente... e nenhuma postagem nova!Dava para entender... mas o molho estava prolongado!
Agora, um mês depois, é uma alegria ver que você voltou! E com o bom humor de sempre!
Que ótimo que você venceu mais uma etapa! Então ganhe mais força e alimente bastante a fé para realizar os seus sonhos!
Gostei da tipologia que vc fez dos profissionais “cuidadores”!
Eu os admiro porque escolheram cuidar da vida.
Imagino que enfrentar o dia-dia dos hospitais não é nada fácil. Mais do que as tarefas do emprego, eles precisam ter coragem, aprender a amar, assumir responsabilidades e fazer os pacientes felizes. Como todos nós humanos, têm também seus mistérios, seus problemas e suas fraquezas!
Que o Grande Enfermeiro da Vida esteja sempre lhes ensinando a arte de cuidar bem!
Um grande abraço!

Erika disse...

Oi, Aron!
ADOREI seu blog!!! Não sabia desse seu lado cronista :)

Estou torcendo por vc e já falei, né? Me liga sempre que quiser.

Beijo,
Erika

Tarcisio disse...

E por acaso tem aquela do tamanquinho? Vc percebe que ela está chegando de longe, ouvindo os passos no corredor?